Para a correta apreciação da esgrima histórica o binómio desporto/cultura é fundamental compreender que: Pesquisa, trabalho em sala de armas e sobretudo informação correta, é o ponto fulcral da esgrima histórica.

Instrutores e alunos sabem que existem aulas especiais que, pela sua natureza, sintetizam o trabalho físico e intelectual. Têm impacto decisivo quer na evolução do atleta quer do recriador. Sim “recriador” porque a esgrima histórica permite essa separação, o desporto e a cultura.

A aula de 26 de Outubro, na Sala de Armas do Museu, é uma dessas aulas e teve como base o texto “Tratado das Liçoens da espada preta”, de Thomas Luis.

Obviamente que nestas páginas apenas cabem duas dimensões, o movimento só pode ser apreendido na sala de armas, é essa a razão da sua existência, a aprendizagem intelectual complementada pelo exercício físico.

A esgrima é desporto e arte e tem o seu princípio no ser humano.

Eis o resumo da aula:

Compasso – Movimento que permite o posicionamento do tempo dos pés quer em ataque quer em defesa

 Compasso

Guardas – Corpo – Posicionamento que permite o tempo do corpo quer em defesa quer em ataque.

Guarda Portuguesa

As diferenças entre guardas da esgrima portuguesa, italiana, francesa e espanhola do século XVII.

Foi realizado uma apresentação desenvolvida sobre o tema com aplicação das várias posições.

Guardas -Mão- Posicionamento que permite o tempo da mão e da espada quer no ataque quer na defesa.

Prima Prima Polegar abaixo

Seconda Seconda Polegar adentro

Terza Terza Polegar acima

Quarta Quarta Polegar afora

 

Golpes- Posicionamento que permite o tempo da mão e da espada em ataque.

GolpesQuestões e considerações poderão ser remetidas para: esgrima@academiaeh.pt

Share Button